Compre aqui mudas de qualidade!
Temos mudas de Coqueiro aVIVEIRO DE MUDASnão e Jabuticabeira em vaso.

Mudas de Arvores Nativas e
Mudas Frutiferas


Sites da Nossa Empresa

VIVEIRO DE MUDAS NATIVAS FLORESTA
Chacara das Palmeiras - Tupã

Mudas de Embauva - Arvores de Embauva


Dados da Espécie

Especificações Gerais
Familia: Cecropiaceae
Nome Científico: Cecropia hololeuca Miq.
Nomes Comuns: embaúba, embaúva, imbaúba, imbaúba branca, umbaúba, umbaúba branca, embaúva, árvore da preguiça, embaúva preta, embaúba branca, ambaitinga, embaúva branca, embaúva prateada, embaíba
Crescimento: arvoreta
Grupo Ecológico: pioneira
Ocorrência: floresta estacional semidecídual , floresta ombrófila densa , mata ciliar
Distribuição Geográfica: BA ES MG RJ SP
Dispersão: zoocoria
Polinização: anemofilia
Floração: OUT NOV DEZ JAN
Frutificação: JUL AGO SET OUT

Utilização
Utilizada para: Construção
Celulose
Arborização Urbana
Medicina
Fibras
Paisagismo
Fauna

Dados do Caule
Tipo de Copa: irregular
Tipo de Estrutura: raízes aéreas
Densidade da Madeira: 0,43
Observações: No interior do tronco oco (entrenós) abrigam-se formigas.

Dados da Flor
Número de Pétalas: 0
Tamanho da Flor: 0,5
Cor: amarela
Estrutura: espiga
Tipo: Inflorescencia
Sexual: espiga
Observações: As flores formam numerosa espigas densas, de até 30 cm de comprimento, dispostas sobre um pedúnculo axilar, envolto numa espata caduca.

Dados da Folha
Tipo: Simples
Forma da Folha: peltada
Tamanho da Folha: 25 x 80
Inserção: espiralada
Consistência: coriácea
Contem: Nervação
Pilosidade
Observações: A folha é dividida em cerca de 10 lobos de margem lisa, separados até o pecíolo por espaços de 2 a 3 cm (o maior lobo mede 40 a 43 cm de comprimento, e o menor 16 a 18 cm). O pecíolo é longo (cerca de 50 cm, cilíndrico e piloso). A face superior da folha é de coloração verde escura e a inferior acinzentada, ambas cobertas por denso tomento níveo. A folha é muito apreciada pelo bicho preguiça ().

Dados do Fruto
Tipo do Fruto: baga
Estrutura: Seco
Cor do Fruto: marrom
Tamanho: 0,1
Deiscencia: não
Periodicidade: anual
Observações: Os frutos formam uma infrutescência com grande quantidade de sementes, muito apreciadas por pássaros e morcegos.

Dados das Sementes
Cor da Semente: marrom
Tamanho: 0,04
Quantidade: 1

Técnicas em Viveiro
Beneficiamento: Os frutos devem ser colhidos da árvore quando estiverem maduros. Em seguida, deixá-los em repouso por alguns dias para iniciar a decomposição e facilitar a sua maceração em água. As sementes são separadas filtrando-se a suspensão de frutos e deixando-se o filtrado secar ao sol. O armazenamento deve ser realizado em câmara seca (UR = 40 a 50%).
Sementes por Kilo: 900000
Dormência: sim
Quebra da Dormência: O poder germinativo das sementes é aumentado graças a ação dos sucos digestivos de pássaros que se alimentam destas. A dormência está associada com a incidência de luz, portanto, basta colocar as sementes para germinarem em local que receba bastante sol (a cobertura do solo deve ser mínima). Graças a dormência, as sementes permanecem por longo período no banco de sementes do solo.
Quebra Natural: 12 meses
Quebra Câmara: 36 meses
Umidade: 0 %
Germinação: 80 % após 40 dias
Condução: pleno sol
Formação: a 30 cm em 6 meses
Tolerância: sim, 2 a 4 semanas após a germinação.
Plantio: É uma espécie heliófila e de rápido crescimento (chega a tingir 10 m de altura aos 6 anos de idade, no espaçamento 4 x 4 m). Apresenta crescimento monopodial, sendo recomendada em plantio a pleno sol, principalmente em consórcio com espécies oportunistas. Não é tolerante ao frio, mas apresenta brotação do colo após danos por geadas.
Conservação: Não ameaçada.

Bibliografia
AGUIAR, I.B.; PINÃ-RODRIGUES, F.C.M. & FIGLIOLIA, M.B. Sementes Florestais Tropicais. ABRATES. Brasília. 1993. 350p.

CORREA, M.P. Dicionário das plantas úteis do Brasil e das exóticas Cultivadas. Ministério da Agricultura. Rio de janeiro. 1931.

ENGEL, V.L.; MORAIS, A.L. & POGGIANI, F. Guia de localização e reconhecimento das principais espécies arbóreas do Parque da Esalq. Relatório de Pesquisa. FEALQ. 1984.

PINÃ RODRIGUES, F.C.M. & FIGLIOLA, M.B. Informações práticas sobre sementes de espécies arbóreas. 1992. 48p.(Não Publicado).

REITZ, R. Flora ilustrada catarinense. Euforbiáceas. Parte I. Itagaí. 1988. 408p.




Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais
Avenida Pádua Dias, 11 - Caixa Postal 530 - CEP: 13400-970 - Piracicaba/SP
Reprodução permitida desde que citada a fonte.
 
   
   
arvore de embauva
Fonte da Foto:http://www.vivaterra.org.br/arvores_nativas.htm#embauba
 
   
   
   
   
   
   


014 3441 2651
florestamudas@gmail.com

Nosso Viveiro de Mudas é localizado na Estrada de Parnaso - São Martinho
Tupã-SP